"A vida é aquilo que você faz daquilo que te fizeram"

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A sua opinião não passa da opinião que seus pais vomitam em sua cabeça - Sobre a faculdade


Segunda tudo começa de novo. O fluxo de atividades e compromissos, os sorrisos forçados, as gentilezas por obrigação, o autocontrole, as mentiras, as desculpas... Se passaram seis meses desde que eu entrei nesse novo universo e eu não aguento mais. O esforço para me adaptar não faz mais sentido aos meus olhos, é verdade. Admito que sinto falta... Sinto muita falta das brincadeiras de mau gosto, de chorar de tanto rir, de xingar um amigo e rir depois, de mandar todo mundo calar a boca sem medo de ser interpretada errado, sinto falta das piadas, das brigas idiotas, de ser chamada para conversar com a orientadora e ficar morrendo de raiva de todo mundo, sinto falta de falar "foda-se" quando o que eu estava sentido era tudo menos "foda-se", sinto falta do palavreado sujo e informal, sinto falta da emoção de fazer algo errado, sinto falta de desafiar quem quer que seja, sinto falta de rir dos boatos e de chorar com eles também. Sinto falta de perder um amigo e reconquistá-lo, sinto falta de abraços... Sinto muita falta dos abraços diários que eu recebia, como se ao pisar na escola eu estivesse finalmente pisando em um casa, onde seria recebida com carinho pelas pessoas que me amam do jeito que eu sou. E isso era todo o dia. Todo o dia eu tinha um motivo para levantar.

Esse novo mundo não é assim, e eu entendo porque não é assim. Eu entendo que não estamos na faculdade para brincar, nem mesmo para fazermos melhores amigos, eu não acho que a faculdade seja um lugar para rir ou chorar, não acho que eu deva pensar na faculdade como minha casa, eu entendo que esperar isso é ridículo. Mas me falta um motivo, um objetivo que eu não vejo mais. É ridículo, eu odeio o ambiente, odeio o coletivo das pessoas. São pessoas estranhas, muito estranhas para mim. Na minha vida eu conheci dois tipos de pessoas: jovens e crianças totalmente desencorajados para estudar ou fazer qualquer coisa do gênero, jogados em escolas ruins e ensinados por professores cheios de má vontade ou então jovens dispostos para lutar, nerds estudiosos, preocupados, nervosos, ligados em tudo, cultos segundo seus assuntos de maior interesse... Enfim, adolescentes que lutaram ou ainda estão lutando muito para chegar onde quer que estejam ou queiram estar.

Mas agora eu vejo um outro tipo de adolescente nessa faculdade, um tipo estranho... Um tipo que parece que sempre viveu no mesmo mundinho, simples e fácil, um tipo fechado para novas opiniões ou novas visões de mundo, um tipo que na verdade nem acredita que exista um outro universo rondando eles, um tipo que se ofende com o diferente, um tipo que não está nem um pouco disposto a entender... São pessoas boas, é verdade, bem educadas e tudo o que manda a etiqueta, alguns são legais e interessantes... Mas é só isso. A grande maioria se importa de mais consigo mesmo para olhar a volta... É muito estranho. O ambiente competitivo que rondava os colegiais não se compara com o ambiente competitivo que ronda a faculdade, porque, apesar dos colegiais serem rivais no vestibular, nos sentíamos como parte de algo, de um grupo e acima dessa rivalidade estava a amizade. Nós nos ajudávamos, nós lutávamos juntos. Na faculdade não. Não existe nenhum "grupo" acima da competição, não existe nenhum sentimento de amizade acima disso, não existe nada. A não ser um bando de "individuais" nervosos tentando afirmar suas individualidades como sento superiores as dos outros.

É um mundo novo e áspero. Os mais fortes sempre pisarão nas cabeças dos mais fracos para atingirem o topo. E é simplesmente ridículo e desumano aos meus olhos. É algo que eu não consigo entender e acho que nem quero entender. Eu gosto de trabalhar em equipe, gosto de ver e aproveitar o que cada um tem de melhor, gosto de gente se ajudando (não de carregar alguém, mas ajuda mútua). Eu sou bastante competitiva porque tenho a mania de me rebaixar se for um pouquinho pior do que eu esperava para mim mesma, mas eu odeio a competição. Odeio gente diminuindo gente, odeio ver gente chorando seu fracasso e gente gritando de alegria totalmente alheia a dor a sua volta. É cruel.

A verdade é que o mundo é assim. Mas se ele é assim, eu não sei se quero fazer parte disso. Não vejo alegria nenhuma em ser melhor do que alguém em alguma coisa se isso for destruir os sonhos da outra pessoa, não vejo necessidade de ser melhor do que alguém em nada. O que eu gosto é de ter meu jeito independente da opinião alheia e ser feliz da forma que eu quiser.

Não acho que essa faculdade é a melhor só porque é paga e tem infraestrutura. Eu estou pouco me fudendo para todo o dinheiro envolvido nessa merda... Eu penso seriamente em prestar uma pública e viver com gente que se importa com o mundo a sua volta, gente que não pensa só em si mesmo. Viver com gente que protesta, que luta por um mundo melhor, gente que se mexe, gente que poe a mão na massa e faz acontecer. E estou pouco me fudendo se vocês acham isso ridículo, é óbvio que acham isso ridículo, afinal... A opinião de vocês não passa do ponto de vista que seus pais conservadores vomitam sobre suas cabeças. E vocês aceitam isso tão passivamente como se fosse deus quem estivesse dizendo. Na minha humilde opinião... Acho tudo isso uma merda.

5 comentários:

Gisele Z. G. disse...

Então não sou sua amiga, Gêmea? ._.

Sáh disse...

UHEUHEUHEUHEUHE dels... claro q é criatura. Não to generalizando. Tem bastante gente foda... Mas o ambiente geral eu não curto mto, entende?

Bi disse...

Vc é fresca pra caralho...
Foca na porra do que você foi pra fazer... ESTUDAR E ARRANJAR UM EMPREGO...
Minha faculdade é MUITO FODA, tive MUUUITA sorte, mas eu não gostaria de fazer CI! Eu seria trupermente feliz em gastronomia...
Mas existem idiotas em todo lugar, o negócio é fazer o que você tem pra fazer e não se importar...

Sáh disse...

UHEUEHEUHEUHEUHEUEHUH me deixa reclamar em paz u.ú

Eu sei... eu só tava meio surtada... vou focar. A coisa é que sinto falta de vocês. E de rir até chorar, essas coisas.

Anônimo disse...

'Mente fechada são as pessoas que julgam os outros pelo que acha que eles são sem fazer o mínimo para conhecê-las mais profundamente' - Eduardo Oyakawa