"A vida é aquilo que você faz daquilo que te fizeram"

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sobre ser você mesmo e a hipocrisia

É difícil falar em "ser você mesmo" quando eu vivo em uma crise constante de identidade, mas vou tentar mesmo assim...

Todo mundo, ou pelo menos grande parte dele, parece viver atrás de uma autenticidade bizarra. Não é difícil ouvir de uma pessoa que ela quer ser "diferente", "especial" ou qualquer outro termo remetendo a um: quero me destacar na multidão. O que para mim não passa de uma utopia infantil que seria cômica se não fosse trágica. As pessoas se preocupam tanto em se destacarem que parecem se tornar tudo menos elas mesmas, e isso sempre em nome da tal da autenticidade que eu não vejo quase que em lugar nenhum para falar a verdade. Vemos falsas auto-confianças, falsos sorrisos e falsas sociabilidades, falsas belezas, falsas gentilezas. Vemos um exército de pessoas que se dizem criativas e originais, presas nas mesmas idéias sem graça, no mesmo universo diminuto e previsível. É triste.

O diferente... O diferente nunca é visto com bons olhos, nunca é elogiado de primeira, dificilmente é reconhecido, assusta fácil e incomoda como um espinho na coluna. O diferente não é aplaudido, não é aceito, não tem muitos amigos. O diferente é facilmente criticado, facilmente odiado, facilmente rejeitado. O diferente não necessariamente é bom! O que as pessoas muitas vezes esquecem. O original não necessariamente é útil, ou bonito, ou elogiável e invejado. Não, não... O diferente assusta. É imprevisível e muitas vezes eloquentemente intragável.

As multidões pregam a autenticidade, mas não respeitam os que não se encaixam em seus padrões. E isso não é necessariamente ruim também. Mas é hipócrita de uma forma inegável. Eu acredito que o desejo de ser diferente e "autêntico" vem da decepção de se ser absolutamente normal. E rezo com o dia que as pessoas entendam que ser normal é um presente maravilhoso, que de forma alguma é algo negativo, pelo contrário! É irônico até, quase revoltante essa história de se louvar esse "diferente" quando nem se sabe o significado real de ser diferente.

2 comentários:

Anônimo disse...

A diferença está em sermos cada um...
Trabalhamos arduamente em sermos especiais em aspectos positivos!
não diria que ser diferente é ruim quando se é aplicado num âmbito restringido na sociedade e na mente de um ser.
O quão diferente você é, torna-te tão igual aos outros?
Você é igual, porque é diferente?

Sáh disse...

Sim, é o que eu penso, todos nós somos diferentes um dos outros, por isso mesmo, iguais.

Por isso acho ridículo pessoas buscando o "ser diferente" quando ser diferente é absolutamente normal. Entende?