"A vida é aquilo que você faz daquilo que te fizeram"

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Tudo ou nada.


Que me internem, que tirem minha vida de mim, que me interrompam, que me amarrem! Não vou deixar de viver por isso, eu me recuso. Eu me recuso a fugir das fortes emoções, me recuso a me entregar pela metade, me recuso a andar com cuidado, a viver em cima do muro, a derrubar uma lágrima ou só dar um meio sorriso, não! Não... Quero viver por completo, quero chorar até cair no sono com os olhos ardendo, quero rir até perder o ar, quero amar muito mais do que cabe em meu coração e odiar mais que um assassino. Quero minhas contradições, minha instabilidade, minha irrelevância, minha impaciência e hiperatividade, quero minha inquietude, minha genialidade esquizofrênica, minha burrice depressiva, minha irritação. Quero responder ao mundo do meu jeito, como eu sou, como eu penso, como eu sinto. Isso sou eu, eu por completo, despedaçada, sou eu, eu! Me deixe ser como eu sou, me deixe viver e me destruir, me deixe.

Rápido! Rápido! Me traga o mundo, enquanto isso dura, enquanto essa alegria e desejo de quebrar todas as leis e barreiras estão aqui, rápido! Me deixe abraçá-lo por inteiro, me deixe conquistar todos os meus sonhos. Rápido! Vai passar, daqui a pouco vai passar e eu terei perdido, meu monstro logo vem. Enquanto isso dura. Rápido! Rápido!

Já passou.

Um comentário:

Madame disse...

To lendo a respeitono livro Cause Impacto...la fala que temos que vivenciar essas coisas enquanto ha tempo.